02. Bio & Cv

“Desenhos não fogem ao desejo da circunscrição: domínio.
Utilizo ferramentas colonialistas às avessas… Redescubro numa mesma forma: cartográfica ou taxonômica… descolonizando paisagens possíveis: rearticulando a linguagem estanque e o reapropriado insistir numa crítica à representação para o controle.
Uma ética mesmo de um arquivismo da contingência… daquilo que não esta ali amanhã… porém circunscrito enquanto imagem sintoma da acurácia e cuidado exatamente sobre o que perdemos.”      

Por Tiago Santinho 

Daniel Caballero

Vive e trabalha em São Paulo

 

Contato     

danielcab04@gmail.com      

( 11 ) 981333668

 

Sites 

caballeroland.art      

cerradoinfinito.com.br

premiopipa.com/daniel-caballero

Daniel Caballero é artista visual e pesquisador de São Paulo, cidade onde reside e trabalha. Sua relação pessoal com a cidade, é o campo de experimentação onde atua como observador ativo. Seu trabalho se manifesta em diversas mídias, que vão de suportes tradicionais como desenho, instalação ou video, a ações fora do espaço expositivo institucional, tentando novas formas de engajamento da obra e o espectador.

 

E idealizador do projeto Cerrado Infinito, uma recriação da paisagem vegetal originária da cidade de São Paulo, e que ocupa uma praça pública desde 2015, promovendo ações descolonizadoras com a participação de outros artistas e pesquisadores, subvertendo o olhar urbano para o campestre.

Também é autor do livro Guia de Campo dos Campos de Piratininga ou O que sobrou do Cerrado Paulistano ou Como fazer seu próprio Cerrado Infinito.

 

Participou de variadas exposições das quais destacam-se as individuais “Game over ou A extinção do Brazil” ( 2018) e “Terra non Descoperta” ( 2015), ambas na Galeria Virgilio em São Paulo,”Tóxico Trópico” ( 2015 ) na Galeria Carlos Carvalho em Lisboa, coletivas recentes como “Três paisagens” ( 2019 ) na Casa de Cultura do Parque em São Paulo, e ‘Ambiental” ( 2019 ) no MuBE,  e a 2ª Trienal Frestas  (2017) do SESC Sorocaba.

 

Exposições individuais

 

2018

– “Game over ou A extinção do Brazil’ , Virgilio Gallery, São Paulo, SP

– “Paisagem mirante, Vazante e Cheia”, Santander Faria Lima, São Paulo, SP

– “Campos invisíveis”, SESC São José dos Campos, São José dos Campos, SP

– “Paisagem originária”, SESI Ribeirão Preto, Ribeirão Preto, SP

2015

– “Tóxico Trópico”, curado por Mariaelena Cappuccio, Galeria Carlos Carvalho, Lisboa, Portugal

– “Daniel Caballero com o Instituto Politécnico do Porto”, Porto, Portugal

– “Terra non Descoperta”, Galeria Virgilio, São Paulo, SP

– “Tudo que vejo é meu”, individual do programa de exposições do MARP- Museu de Arte de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto, SP

2014

– “Land Art ou Onde podemos construir montanhas?”, curado por Renato Pera, Estação de metrô São Bento,  São Paulo, SP

– “Expedição botânica entre avenidas paulistanas”, 18ª Cultura Inglesa Festival, São Paulo, SP

2013

– “Desenho rápido enquanto a paisagem desaparece”, curado por Wagner Lungov, Central Gallery, São Paulo, SP

– “O Jardim”, curado por Rejane Cintrão, Hospital Edmundo Vasconcelos, São Paulo, SP

2009

– “Boas maneiras: Geofágos educados não acreditam em linhas imaginárias”, Casa do olhar, Santo André, SP

– “Andando, desenho linhas imaginárias que preenchem o espaço com percursos inúteis”, curado por Saulo di Tarso, Paço Municipal de Santo André, São Paulo, SP

2008

– “Começos do fim do mundo”,curado por Roger Basetto, POP Gallery, São Paulo, SP

Exposições coletivas

 

2019

- "Três paisagens" - Dark Tropicália - Casa de Cultura do Parque - São Paulo - SP

- "Jardinalidades" - SESC Parque Dom Pedro, curado por Gabriela Leirias e Faetusa Tirzah

- "Ambiental arte e movimentos”, curado por Cauê Alves e Marcia Hirota -MuBE - São Paulo - SP

– “Studiolo XXI  Desenho e afinidades”, curado por Maria de Fátima Lambert, Fundação Eugénio de Almeida, Lisboa, Portugal

2018

– “Campos Gerais”, Adelina Instituto cultural, curado por Josué Mattos, São Paulo, SP

2017

– “Trienal Frestas”, curado por Daniela Labra, SESC Sorocaba, Sorocaba, SP

– “Geografias”, SESC Santos, Santos, SP

2015

– “Geografias”, SESC Jundiaí, Jundiaí, SP

2014

– “Premiado 39° SARP – Salão de Arte de Ribeirão Preto”, Ribeirão Preto, SP

– “Naturantes”, curado por Hugo Fortes, Biblioteca Brasiliana, São Paulo, SP

– “Cidade Íntima”, Espaço Fidalga, São Paulo, SP

– “Ele disse: Não gosto de paisagem”, curadoria de Fátima Lambert, Quase Galeria, Porto, Portugal

2013

– “Horizonte emergente”, Curadoria Josué Mattos, 13ª Salão de Itajaí, Itajaí, Santa Catarina

– “Preâmbulo”, curado por Mario Gioia, Contempo Gallery, São Paulo, SP

2012

– “Independência ou morte”, Espaço Fidalga, Coletiva Fidalga, São Paulo, SP

– “Colectiva de desenho…(chamo silêncio á linguagem-que-já-não-é-orgão-de-nada)…”, Quase Galeria, curated by Fátima Lambert, Porto, Portugal.

– “Linha aparente”, curado por Raphael Fonseca, Sergio Gonçalves Gallery, Rio de Janeiro, RJ

– “Cidades contínuas: Prólogo”, curado por Coletivo Parênteses, Condomínio Cultural, São Paulo, SP

– “Temporada de projetos do Paço das Artes”, Paço das Artes, São Paulo, SP

– “Vitrines”, curado por Regina Silveira, Estação de metrô Trianon/MASP, São Paulo, SP

2011

– “Programa Banco Santander de Arte Contemporânea“, curado por Regina Cintrão, São Paulo, SP

– “About Change”, curado por Marina Galvani, The World Bank Main Complex, Washington DC, EUA

– “20 e Poucos Anos: Portfólio”, curado por Adriano Casanova, Baró Galeria, São Paulo, SP

2010

– "Ateliê Fidalga no Paço das Artes", curado por Mário Gioia, Paço das Artes, São Paulo, SP

– "Aluga-se", ocupação em casa, São Paulo, SP

– "Photofidalga", curadoria de Fátima Lambert, Quase Galeria-Espaço T,  Porto, Portugal

2009

–"Do papel ao pixel graphias - Se assim somos que assim sejamos”, curado por Saulo di Tarso, Galeria Marta Traba, Fundação Memorial da América Latina, São Paulo, SP 

–"Em torno de, nos limites da arte”, curado por Ricardo Resende,São Paulo, SP

–"Photofidalga" - curado por P,aulo Reis Carpe Diem Arte e Pesquisa, Lisboa, Portugal

–"Entre tempos”, curado por Paulo Reis, Carpe Diem Arte e Pesquisa, Lisboa, Portugal

–"Zoom" curado por Ateliê Fidalga, Galeria Carlos Carvalho, Lisboa, Portugal

2007

– “Metropolis, contenitori di quali contenuti?” curado por Alexandre Alves, Paralela Roma Cine Fest, Ex-Gil di Trastevere, Roma, Italia

 

Obras públicas

2020

– “Cerrado Infinito”, Obra processual e colaborativa desde 2015, Praça Homero Silva, São Paulo, SP

2018

–"Paisagem Mirante, Vazante", intervenção, Santander Faria Lima - São Paulo, SP

–"Paisagem originária", ocupação artística SESI Ribeirão Preto - Ribeirão Preto ,SP

 

Acervos

– 39° SARP, Premio aquisitivo, MARP,  Ribeirão Preto, SP

– Coleção Santander

Formação livre

 

( 2020 ) 

– Grupo de estudos com Jailton Moreira, desde 2015, São Paulo, SP

( 2016 )

– Grupo de estudos com Ana Paula Cohen, São Paulo, SP

( 2015 )

– Escola antrôpica, grupo de estudos, orientação Ana Paula Cohen, Instituto Tomie Otake, São Paulo, SP

(2012)

– Procedência e Propriedade, ministrado por Charles Watson, Eduardo Berliner, Frederico Carvalho, Cadu, Ateliê Novo Mundo, Rio de Janeiro, RJ

(2011)

– Grupo de estudos, orientação Albano Afonso e Sandra Cinto, Ateliê Fidalga, São Paulo, SP

(2010)

– Grupo de estudos, orientação Albano Afonso e Sandra Cinto, Ateliê Fidalga, São Paulo, SP

(2009)

– Grupo de estudos, orientação Albano Afonso e Sandra Cinto, Ateliê Fidalga, São Paulo, SP

Eden, grupo de estudos, orientação Juliana Monaches, Gui Amado e Rafa Campos, São Paulo, SP

– O processo criativo 1, curso ministrado por Charles Watson, Instituto Tomie Otake, São Paulo, SP

(2008)

– Grupo de estudos, orientação Albano Afonso e Sandra Cinto, Ateliê Fidalga, São Paulo, SP

– Eden, grupo de estudos, orientação Juliana Monachesi e Gui Amado, São Paulo, SP

– O processo criativo 2, curso ministrado por Charles Watson, Instituto Tomie Otake, São Paulo, SP

(2007)

– Atelier Fidalga , grupo de estudos, orientação Albano Afonso e Sandra Cinto, Ateliê Fidalga, São Paulo, SP

(2000/2002) 

– Filosofia da arte, orientação Felipe Chaimovich, São Paulo, SP