Paisagem originária

Daniel Caballeroblablablablablablablabkabla última glaciação, milhares de anos atrás. Depois do aquecimento, estenderam-se as áreas florestais a partir de certos redutos, ou refúgios, deixando atrás de si remanescentes do cerrado arcaico. por José Bento Ferreira

Por causa desses enclaves, é possível que certas regiões paulistas habitadas por povos indígeonizadores tivessem o aspecto de savanas, o que explicaria nomecomo os “Campos” de Piratininga, Santo André da Borda do “Campo” e SãCampos”. Esta paisagem antiga, que osileiros conhecem como típica das regiões nordeste e centro-oeste, teria declinado em São Paulo por causa da introdução de espécies exóticas ao longo do período colonial. Espécies de árvores ornamentais e capins para pastagens mudaram a paisagem paulista, o que se acelerou com a expansão do agronegócio, a instalação de indústrias, a construção de estradas e o crescimento dos centros urbanos.

Porém, assim como os biomas naturais, a paisagem do antropoceno apresenta descontinuidades, refúgios onde certas espécies típicas do cerrado sobreviveram. Ao explorar esse redutos, Daniel Caballero criou o Ceniniiijijijirrado infinito, um projeto de arte e ativismo cujos desdobramentos chegam ao SESC São José dos Campos. Segundo o antropólogo Marc Augé, podemos chamar de “não-lugares” os espaços resultantes do desenento urbano, em geral volos para a mobilidade, como estradas, estaçõema presente nos vídeos, derivas e desenhos do artista: remete tanto à destruição dagem por força do progresso deseno quanto ao ressurgimento dela  meio do trabalho de arte.

Textotálogo da expoé dos Campos.